alimentacao saúde bucal na terceira idade

29-07-2021

Como a alimentação impacta a saúde bucal na terceira idade

O cuidado com a alimentação e saúde bucal na terceira idade é fundamental para a manutenção de uma boa qualidade de vida.

Para isso, contudo, é preciso manter-se sempre atento aos impactos que os hábitos alimentares causam em todo o organismo, especialmente na cavidade oral.

Afinal, ainda que essas medidas sejam necessárias em todos os períodos da vida, o público mais velho possui uma predisposição natural ao acometimento por doenças bucais.

Isso porque o organismo passa por uma série de mudanças que deixam as estruturas dentárias mais desprotegidas.

Enquanto isso, a alimentação é capaz de prevenir doenças, fortalecer as estruturas e garantir a saúde e integridade dental, ao mesmo tempo em que pode ser o estopim das ações bacterianas que comprometem o bem-estar dos dentes e a saúde de todo o corpo.

Por isso, para garantir uma vida mais ativa e saudável durante toda a terceira idade, é preciso primeiro compreender as relações entre as comidas e as condições dentais.

 

Saúde bucal e terceira idade

 

Com a idade e o surgimento de doenças sistêmicas – como a diabetes ou a hipertensão –, a cavidade bucal se torna mais sensível às ações bacterianas e os dentes ficam sujeitos ao desenvolvimento desses microrganismos danosos.

Essas enfermidades causam alterações diretas ou indiretas – como o efeito colateral de medicações de controle –, na cavidade bucal dos pacientes, como:

  • Diminuição da produção salivar;
  • Problemas com o sistema circulatório das gengivas;
  • Aumento da acidez bucal;
  • Sistema imunológico menos eficiente;
  • Lesões na mucosa oral.

 

Todas essas mudanças fazem com que os dentes sejam mais facilmente acometidos por doenças que provocam a perda dentária e exigem a realização de um implante dentário.

 

Como a alimentação pode influenciar na cavidade oral

 

Ao mesmo tempo que a alimentação é capaz de fortalecer os dentes e impedir diversas doenças, ela também pode ser a principal responsável pelo desenvolvimento bacteriano e pelos danos causados.

Com isso, tanto a arcada dentária quanto os procedimentos odontológicos, como a lente de contato dental, podem ser prejudicados.

Assim, o consumo de hortaliças e vegetais frescos – como o brócolis, a couve e a cenoura –, deve ser prioridade na dieta da terceira idade.

Afinal, essas comidas são ricas em nutrientes como cálcio, fósforo, ferro, vitamina B, C e D, que são fundamentais para fortalecer as estruturas dentais.

Essas comidas promovem a remineralização dental, o que torna os dentes mais resistentes à ação bacteriana, aumentam a salivação bucal, auxilia na remoção de restos de comidas e não pode ser usada pelas bactérias para a produção de ácidos corrosivos.

 

Cuidados necessários para evitar problemas

 

Existem diversas maneiras de garantir a saúde bucal durante a terceira idade, evitando os problemas que são originados pela alimentação e pelas condições de saúde mais características.
Para isso é necessário a atenção extra aos maus hábitos e a adoção de alguns costumes, como:

 

1 – Mantenha uma dieta balanceada

 

As dietas ricas em alimentos naturais e frescos, como dito anteriormente, são fundamentais para manter o organismo livre de doenças metabólicas e patologias cardíacas, ao mesmo tempo em que ajuda a fortalecer os dentes e manter a integridade de todos os tecidos orais.

Assim, é preferível que os pacientes invistam em seis refeições por dia e garantam o consumo de, ao menos, cinco porções de frutas, verduras e legumes.

Inclusive, essa é a recomendação da Organização Mundial da Saúde para garantir o bom funcionamento de todo corpo.

 

2 – Prefira comer alimentos doces junto com as refeições

 

Para manter os dentes livres de cáries e infecções gengivais não é necessário abandonar por completo os alimentos que contenham açúcares, amidos, carboidratos e gorduras.

A redução das porções dessas comidas é indicada, mas o momento em que elas são saboreadas é tão importante quanto.

Por isso, dê preferência a comer doces, balas e chocolates junto com as refeições principais e realize a escovação da arcada e do aparelho ortodôntico após todas as alimentações.

Assim, o paciente passa menos tempo com os resquícios de alimentos sendo fermentados na boca e proporciona menor margem de ação para as bactérias.

 

3 – Aposte na hidratação constante

 

A saliva é uma grande aliada no processo de proteção dental. Então, para compensar a queda natural – ou induzida por medicamentos – da produção salivar, garanta a ingestão frequente de água e a hidratação adequada.

Geralmente, com o tempo, o corpo perde a sensibilidade dos receptores responsáveis por administrar a sede, assim, os pacientes tendem a beber menos água e deixar a boca ainda mais seca.

 

4 – Cuide sempre da saúde dos dentes

 

A escovação de toda a cavidade oral e do aparelho movel, bem como das próteses dentárias, deve ser feita ao menos três vezes ao dia, seguido do uso do fio dental e o bochecho com um enxaguante bucal indicado por um dentista de confiança.

O acompanhamento odontológico constante também é fundamental para a saúde bucal. Nessas consultas, que devem ser realizadas a cada seis meses, o médico irá realizar limpezas e poderá diagnosticar doenças precocemente.

Além disso, o paciente pode aproveitar para investir em tratamentos cosméticos, como o clareamento dental, que ajudam na manutenção da saúde e da autoestima.

 

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe do blog Qualivida Online, site no qual é possível encontrar diversas informações e conteúdos sobre os cuidados com a saúde física e mental.