luto na terceira idade

25-05-2020

Luto e terceira idade: principais desafios

Entenda porque o luto merece atenção na terceira idade, quais são suas 5 fases e veja formas de superá-lo.

 

A perda de uma pessoa próxima sempre traz profunda tristeza. Porém, quando você chega na terceira idade, o luto pode ser o gatilho para a depressão e outros problemas.

Dentre as causas que podem levar à depressão na terceira idade, o Ministério da Saúde destaca:

  • Antecedentes depressivos prévios;
  • Doença incapacitante, sobretudo se há deterioração funcional implicando numa mudança brusca e rápida;
  • Doença dolorosa (neoplasia, doença osteoarticular deformante);
  • Abandono e/ou maus tratos;
  • Morte de cônjuge, familiar ou amigo próximo.

Ou seja, assim como os receios com a nossa saúde física, o fantasma da perda também está presente no nosso cotidiano e precisamos entender com isso afeta nosso bem-estar.

 

Afinal, o que luto?

A Cartilha de orientação ao luto parental esclarece que o luto não é apenas choro, lamentação, doença, depressão e, portanto, deve ser algo a ser evitado ao máximo. O luto nada mais é que o processo de readaptação da realidade sem a pessoa que faleceu. Além disso, cada processo é singular e não pode, nem deve ser comparado e medido para justificar a profundidade do amor por aquele ente que partiu.

Além disso, a Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina também pontua que cada pessoa lida de uma forma diferente com seus sentimentos e que cada um tem seu jeito de reagir ao luto. Porém, é necessário aprender com a dor da perda através de estratégias de superação.

 

Luto e depressão: entendo a diferença

É importante não confundir o luto com a depressão. No luto, tanto os sintomas quanto à disposição da pessoa afetada podem ser parecidos com o da depressão. Porém, a diferença é que o luto é transitório e, nele, não tem autorrecriminação típica da depressão. Além disso, tanto a pessoa que está vivenciando o luto, quanto seus familiares e amigos e profissionais da saúde devem estar atentos para os sinais, pois o luto pode se desenvolver para uma depressão (Fonte: Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina, 2015).

 

Fases do luto

Para uma melhor compreensão de cada uma das etapas, muitos estudiosos dividem o luto em 5 (cinco) fases distintas:

  • Fase 1 – Negação: quando há aquela sensação de que a pessoa que perdemos pode entrar a qualquer momento pela porta. Isso é um mecanismo de defesa, pois temos dificuldade em aceitar o que realmente aconteceu.
  • Fase 2 – Cólera ou raiva: quando o sentimento de inconformidade dá lugar à revolta. Sentimentos como raiva e ressentimento podem ser direcionados ao ambiente externo, como se ele fosse causador do respectivo sofrimento.
  • Fase 3 – Negociação: fase em que faríamos tudo para que as coisas voltassem a ser como eram antes, sem o sentimento de perda e sem a dor. É uma fase de negociação interna, podendo até ser direcionada para a religião.
  • Fase 4 – Depressão: é um momento marcado por tristeza profunda, desolação e desesperança. No geral, ocorre nesta etapa um período de introspecção e necessidade de isolamento. O choro constante costuma estar presente nesta fase.
  • Fase 5- Aceitação: quando o sofrimento já não se manifesta de maneira tão debilitante e intensa. Nesta fase, aprende-se com a dor e começa a preparação para seguir em frente.

Apesar desta divisão do luto em cinco fases distintas, a intensidade e duração de cada uma delas variam de acordo com cada indivíduo.

 

As principais dificuldades do luto na terceira idade

Na fase da vida em que nossa saúde física e emocional já inspira maiores cuidados devido ao próprio avançar da idade, é quando muitos de nós vivenciamos, de maneira mais próxima e intensa essa dor do luto. É comum a perda do cônjuge após uma vida toda de compartilhamento e acompanhamento. Assim, as próprias fragilidades da saúde tornam-se mais evidentes dentro deste contexto de perda e de luto.

Por isso, o luto na terceira idade precisa ser acompanhado com muito carinho e atenção pelos familiares.

 

Como minimizar os impactos do luto na terceira idade?

Há algumas formas para tentar minimizar os impactos do luto na terceira idade. Separamos aqui 3 (três) ações.

 

Não se isolar

A solidão poderá agravar a dor do luto. Por isso, é necessário se esforçar para conviver com amigos e familiares. Conversar e desabafar certamente poderá trazer mais alento no momento do luto.

 

Realizar atividades físicas e/ou de lazer

Por mais que, em um primeiro momento, seja tentador se isolar para viver o luto, é necessário inserir na rotina alguma atividade física e/ou de lazer. Passeios, caminhadas, jogos: são atividades que vão colaborar para o bem-estar físico, emocional e mental.

 

Lembrar os bons momentos

Durante a fase de luto, resgatar lembranças e memórias vivenciadas com o ente que se foi pode ser extremamente positivo e saudável. Além de ser uma forma de suavizar a dor neste momento.

Se você está vivenciando o luto, não é hora de você ficar sozinho: converse com seus amigos, familiares e, caso você achar que a dor da perda está te paralisando, uma ajuda profissional certamente é indicada. Além disso, manter-se informado é uma forma de colocar seus pensamentos, por alguns minutos, em outro foco. Por isso, quero sugerir o post “Atividade física na terceira idade: os cuidados e exercícios mais indicados” que, certamente, vai te interessar.

E para não perder nenhum conteúdo, acesse sempre Oversixty e acompanhe todas as novidades relacionadas à terceira idade.