Queimadura de sol

22-01-2021

Queimadura de sol: quais os principais cuidados que se deve ter com a pele na terceira idade?

Entenda quais as consequências da queimadura de sol, além dos principais cuidados que se deve ter com a pele na terceira idade

 

Com os dias ensolarados, vem também a vontade por fazer mais atividades ao ar livre e aproveitar a energia do sol. O sol é fonte de vários benefícios, como sua relação com a vitamina D. Porém, a falta de cuidados específicos pode gerar a temida queimadura de sol, que pode trazer graves danos para a saúde das pessoas, incluindo de nós, idosos. Para entender as consequências da queimadura de sol para a pele e nossa saúde, esse é o tema do post de hoje.

Gostou? Vamos juntos!

 

 

Como acontecem a queimadura de sol?

 

De acordo com o Manual MSD, as queimaduras solares resultam de exposição excessiva aguda a raios ultravioleta (UV). Além disso, a queimadura solar deixa a pele vermelha e dolorida e, às vezes, provoca bolhas, febre e, até mesmo, calafrios.

E qual é a quantidade de exposição que pode gerar a queimadura de sol? A quantidade de exposição ao sol necessária para produzir tais queimaduras pode variar de acordo com alguns pontos, tais como:

 

  • a quantidade de melanina da pele, geralmente visível como a quantidade de pigmentação;
  • a capacidade de produzir mais melanina;
  • a quantidade de raios UV presente na luz solar no dia da exposição.

 

As queimaduras provocadas pelo sol, embora comumente extensas, são quase sempre superficiais (de 1º grau). A pele fica vermelha, doída e irritada. É comum associar-se às queimaduras solares certo grau de insolação (Fonte: Ministério da Saúde).

 

 

Consequências da queimadura de sol

 

E, afinal, quais são as principias consequências da queimadura de sol na pele? As pessoas com pele mais clara podem sofrer, alguns dias após a exposição, uma descamação no local danificado. Além disso, a pele descamada pode ficar infectada. Também podem surgir manchas castanhas permanentes chamadas lentiginas.

Um alerta para nós, idosos: as pessoas que sofreram queimaduras solares graves na juventude apresentam risco muito maior de contrair câncer de pele, sobretudo melanoma, anos mais tarde, mesmo não tendo sido expostas a muito sol desde aquela época. Ou seja, temos que tomar cuidado porque esta exposição ao sol tem um efeito acumulativo no nosso corpo. Assim, podemos sofrer na terceira idade as consequências do excesso de sol da juventude.

Além disso, o Ministério da Saúde também reforça que o sol é o principal responsável pelo envelhecimento da pele e pelo surgimento do câncer.

 

 

 

A pele do idoso: o que precisamos saber

 

A Cartilha Cuidados com a pele da pessoa idosa da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) reforça que o envelhecimento da pele pode ser divido em:

 

  • intrínseco (interno): genético e cronológico, é decorrente do passar dos anos;
  • extrínseco (externo): resulta dos danos ambientais, principalmente da radiação ultravioleta (UV) emitida pelo sol (fotoenvelhecimento), além de outros fatores como tabagismo, profissão, hábitos nutricionais e poluição. Grande parte das marcas que identificamos na pele envelhecida é consequência deste fotoenvelhecimento.

 

 

 

Cuidados com a pele para evitar queimadura de sol

Cuidados_com_a_pele_do_idoso_para_evitar_queimadura_do_sol

O Ministério da Saúde indica os principais cuidados para evitar a queimadura de sol e ter uma pele saudável.

 

 

Horário da exposição solar

 

O adequado é tomar sol entre 7 e 10 horas e no final da tarde, depois das 16 horas.

 

 

Barreiras físicas

 

É fundamental a proteção do corpo com roupas, óculos e chapéus. Além disso, é importante lembrar que areia da praia reflete a luz solar e também queima a pele, sobretudo quando há o mormaço. Nós, idosos, precisamos ter uma atenção maior à cabeça, pois muitos de nós ficamos com o couro cabeludo sem proteção.

 

 

Proteção solar

 

Lembrar de usar sempre protetores (filtro solar) durante o dia, repondo a cada duas horas na superfície exposta. Os produtos com maior índice de proteção devem ser priorizados.

 

 

Hidratação

 

Não podemos esquecer de nos hidratar, principalmente após uma eventual exposição solar. Água, sucos naturais e água de coco podem ser excelentes opções. Porém, temos que ter muita atenção com a nossa hidratação: na nossa idade, muitas vezes esquecemos de ingerir líquidos e isso pode causar queda de pressão.

E se você está preocupado com possíveis manchas na sua pele, saiba que há uma forma moderna de diagnóstico que usa o demartoscópio. Esse aparelho é capaz de observar lesões, manchas e sinais que possam indicar problemas mais sérios, como o melanoma, que é forma mais agressiva de câncer de pele. Na prática, é uma lente de aumento com iluminação que se examina os nervos procurando características, alterações que indiquem se são nervos benignos ou se tem algum risco (Fonte: Ministério da Saúde). Além disso, ter acompanhamento do seu médico é fundamental.

 

E que tal continuar se informando e aprendendo cada vez mais sobre o nosso universo? Se você quer informações relevantes e direcionadas, separei aqui 4 (quatro) outros posts que, certamente, vão te interessar. Quer ver?

 

Como parar de fumar: dicas práticas para ter uma vida mais saudável na terceira idade

Exercícios de flexibilidade: como se cuidar na terceira idade

Alimentos com vitamina D: qual é a importância desta vitamina para o organismo?

Longevidade: como envelhecer com qualidade de vida

 

E para não perder nenhum conteúdo, acesse sempre Oversixty e acompanhe todas as novidades relacionadas ao nosso mundo dos idosos.