sinais de infarto

11-09-2020

Sinais de infarto: o que eu preciso saber para cuidar da minha saúde

Entenda o que são doenças cardiovasculares, os principais números no Brasil, quais são os sinais de infarto e principais fatores de risco em todas as idades.

 

 

As doenças cardiovasculares representam a maior causa de mortes o Brasil.

A Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) destaca que são 1.100 mortes por dia, ou seja, 46 mortes por hora.

Além disso, comparando com outras mortes, como aquelas causadas pelos diversos tipos de câncer, temos que as doenças cardiovasculares representam o dobro de óbitos.

Para a gente conseguir identificar melhor os principais sinais de infarto e não confundir com outras doenças, o post de hoje vai trazer várias informações objetivas sobre doenças cardiovasculares e sinais de infarto.

Por isso, vamos sem pressa, mas vamos lá!

 

 

 

Doenças cardiovasculares: contextualizando

Em termos mundiais, as doenças cardiovasculares também são a principal causa de morte.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 17,7 milhões de pessoas morreram por doenças cardiovasculares em 2015, representando 31% de todas as mortes em nível global.

Das 17 milhões de mortes prematuras (pessoas com menos de 70 anos) por doenças crônicas não transmissíveis, 37% são causadas por doenças cardiovasculares.

 

A Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) disponibiliza uma plataforma chamada Cardiômetro. Através dela é mostrado os números de mortes por doenças cardiovasculares no Brasil.

Para termos a ideia de alguns números:

  • 2017: foram 383.961 mortes por doenças cardiovasculares;
  • 2020: do início do ano até 8 de setembro: 278.184 mortes.

 

 

O que são as doenças cardiovasculares?

Muitas pessoas têm dúvidas sobre o que é, afinal, as doenças cardiovasculares.

As doenças cardiovasculares são um grande grupo de doenças do coração e dos vasos sanguíneos e incluem (Fonte: Organização Pan-Americana de Saúde – OPAS):

 

  • Doença coronariana: doença dos vasos sanguíneos que irrigam o músculo cardíaco;
  • Doença cerebrovascular: doença dos vasos sanguíneos que irrigam o cérebro;
  • Doença arterial periférica: doença dos vasos sanguíneos que irrigam os membros superiores e inferiores;
  • Doença cardíaca reumática: danos no músculo do coração e válvulas cardíacas devido à febre reumática, causada por bactérias estreptocócicas;
  • Cardiopatia congênita: malformações na estrutura do coração existentes desde o momento do nascimento;
  • Trombose venosa profunda e embolia pulmonar: coágulos sanguíneos nas veias das pernas, que podem se desalojar e se mover para o coração e pulmões.

 

 

 

Sinais de infarto: como reconhecer

 

Antes de falarmos sobre os sintomas, vamos entender o que é infarto.

A Sociedade de Cardiologia do Estado do Rio de Janeiro (SOCERJ) explica que o infarto do miocárdio é a morte de uma região do músculo cardíaco.

Essa morte acontece devido à interrupção abrupta do suprimento de sangue através da artéria que irriga aquela região devido a um coágulo.

No geral, 40 a 50% das pessoas que sofrem um infarto não conseguem ser atendidas (elas morrem antes do atendimento).

Já dentre os pacientes que conseguem chegar a um atendimento hospitalar, pelo menos 90% sobrevivem.

 

 

Principais sinais de infarto

 

O sintoma clássico é a dor intensa no centro do tórax, mas que pode se irradiar para o pescoço, costas e braços (é importante lembrar que a “famosa” dor no braço esquerdo é apenas uma das possibilidades).

Além disso, é importante pontuar que o indivíduo, no geral, é acometido deste sintoma nas primeiras horas da manhã.

Além disso, outra informação surpreendente: cerca de um quarto dos infartos podem ocorrer sem dor. Por isso, precisamos ficar atentos.

 

Além disso, outros sinais de infarto:

  • Suores;
  • Palidez;
  • Sensação de “queimação” no tórax ou porção superior do abdome;
  • Mal estar generalizado;
  • Náusea;
  • Falta de ar.

 

 

Sinais de infarto nas mulheres

 

O Ministério da Saúde destaca que, nas mulheres, os sinais de infarto podem ser diferentes. Na verdade, esses sinais podem ser confundidos com outras doenças mais rotineiras.

É comum as mulheres apresentarem sintomas diferentes e não tradicionais em caso de ataques cardíacos, tais como:

 

  • dor na região do estômago;
  • enjoo;
  • sensação de muito cansaço sem causa aparente.

 

 

 

Fatores de risco para o infarto

 

É importante lembrar que a maioria das doenças cardiovasculares pode ser prevenida através de hábitos e rotinas mais saudáveis.

Dentre os principais fatores de risco, têm-se:

 

  • Tabagismo;
  • Rotinas alimentares não saudáveis;
  • Obesidade;
  • Falta de atividades físicas regulares;
  • Abuso de ingestão de bebidas alcoólicas;
  • Histórico familiar de doenças cardiovasculares;
  • Doenças, como hipertensão, diabetes, dentre outras.

 

Ou seja, o avanço da idade, de maneira isolada, não é o fator mais relevante.

 

 

Sinais de infarto durante a pandemia do coronavírus

 

Um dado surpreendente é que, durante a pandemia da Covid-19, as mortes por doenças cardiovasculares cresceram 31% no Brasil (Fonte: Arpen-Brasil).

Entre março e junho de 2019, 5.066 mortes em casa por problemas cardíacos não especificados foram contabilizadas pelos cartórios.

Já em 2020, este número aumentou para 8.863 registros de óbitos.

Esse aumento de mortes em domicílio por causas cardiovasculares sugere que algumas destas mortes podem ter ocorrido em casa por receio de procurarem um atendimento hospitalar, por medo da contaminação.

Desta forma, os números servem de alerta para todo nós para que os sintomas de infarto não sejam ignorados ou minimizados por medo de ir ao hospital.

 

 

 

E aí? Está gostando de se informar cada vez mais sobre o nosso universo da terceira idade?

Separamos aqui 2 (dois) outros posts que, certamente, vão te interessar, pois vão te estimular a se manter ativo. Quer ver?

 

Atividade física na terceira idade: os cuidados e exercícios mais indicados;

Envelhecimento ativo: tudo o que você precisa saber para ter saúde na terceira idade.

 

E para não perder nenhum conteúdo, acesse sempre Oversixty e acompanhe todas as novidades relacionadas ao mundo dos idosos.